Anúncios

Há uma epidemia de violência contra a mulher – e aí?

Ou será que a violência apenas começou a ser noticiada? Nas manifestações que envolvem todo o país, é lamentável a quantidade de cartazes machistas que pipocam pela internet e pelas ruas. Criaram até um tumblr pra eles. Machismo não é coisa só de homem, como se vê. É chocante ver tantos cartazes errados nas manifestações … Continue lendo

Promessas pra 2012 (e também: o blog em 2011)

Tava faltando a minha lista de 10 promessas pra 2012. Aí vai: . Reclamar menos . Confiar mais . Ir com mais calma . Obedecer meus instintos . Parar de alimentar fantasmas . Aprender a dar mais valor às coisas que eu faço. Sem ficar metida a besta . Respeitar os limites do meu corpo … Continue lendo

ainda sobre o estupro: quando a violência está dentro de casa

Quem me lê há mais tempo (essas 30 pessoas que entram todo dia aqui, rs) sabe que este não é um blog sobre feminismo, assim como ele não é um blog sobre culinária, nem um blog literário, nem um blog de imagens, nem de música, sei lá. Eu posto aqui as coisas que eu estou … Continue lendo

estupro: a culpa é da caça?

Li uma notícia que me entristeceu muito esta manhã*. Os funcionários de uma fábrica da Sadia embebedaram uma colega de trabalho, a estupraram, filmaram e fotografaram tudo e depois divulgaram as imagens entre os coleguinhas da firma. Leia a história toda aqui Não sei o que me revolta mais: o fato em si (8 caras … Continue lendo

um poema da Adélia

Corridinho Adélia Prado O amor quer abraçar e não pode. A multidão em volta, com seus olhos cediços, põe caco de vidro no muro para o amor desistir. O amor usa o correio, o correio trapaceia, a carta não chega, o amor fica sem saber se é ou não é. O amor pega o cavalo, … Continue lendo

ciranda

Se conheceram em uma livraria, entre a prateleira de quadrinhos e a seção de ficção internacional. Ela tinha os cabelos ruivos e encaracolados curtinhos, o volume formava um triângulo arredondado em volta de sua cabeça. Usava óculos de aro grosso, a camiseta largona do colégio e saia até os joelhos, de bolhinhas brancas sob o … Continue lendo

qualidade de vida

morar perto do metrô morar perto do trabalho ter interruptor de luz do lado da cama (ou abajour que dê boa luz para livros com letras pequenas) cozinhar com música e vista bonita para a rua poder cantar enquanto trabalha criar plantinhas que agradeçam seus cuidados com alegria tomar banho de banheira com vista bonita … Continue lendo

sobre angús e vestidos

… e desligou. Sabia que aquele dia ia chegar, desde o primeiro adeus na rodoviária. Mas ainda não estava preparada, ainda não queria, ainda. “Vai ser melhor assim”, enganou-se. Deixou o celular sobre a cama, esparramou-se no chão e deixou-se ali. Minutos, horas, segundos. Não pensou em nada. O piso de granito esquentou e ela … Continue lendo

à diva

Adélia Prado Vamos ao teatro, Maria José? Quem me dera, desmanchei em rosca quinze quilos de farinha, tou podre. Outro dia a gente vamos. Falou meio triste, culpada, e um pouco alegre por recusar com orgulho. TEATRO! Disse no espelho. TEATRO! Mais alto, desgrenhada. TEATRO! E os cacos voaram sem nenhum aplauso. Perfeita. . Outro … Continue lendo

rotina

Aparece todas as manhãs, compra 3 pães, 200g de queijo fatiado, dois brioches, um suflair. Me olha daquele jeito que me faz ficar toda vermelha. Me escondo atrás dos laticínios. Ele me pede amor como se fosse cem gramas de presunto. E sorri. Paga, recoloca o chapéu e vai embora. Não sem uma última olhadela. … Continue lendo