Anúncios

Amsterdam? Vou de bicicleta (óbvio!)

O ciclotrânsito em Amsterdam é estressado, cheio e as bikes vão muito rápido rápido, mas isso não quer dizer que você deva desistir de pedalar pelos canais. A bicicleta é o melhor jeito de se locomover pela cidade e todo mundo sabe disso, principalmente os holandeses! A Holanda possui aproximadamente 16.653.000 habitantes e 16.500.000 bicicletas! Ou seja, quase uma bike/habitante.

Serrote

A estrutura de ciclovias é sensacional, dá vontade de chorar ao lembrar das “ciclofaixas” brasileiras. Sem falar que tudo é plano, plano, plano, então nem cansa muito. O problema é mesmo que os holandeses usam as ciclovias como meio de transporte normal, então eles têm pouca paciência pra turistas perdidos pedalando devagar sem saber onde virar no meio da pista (especialmente se você tiver fumado alguma coisa e depois ter tentado pedalar). Depois do primeiro dia você se acostuma com o jeitinho holandês de andar de bicicleta.

A única reclamação REAL que tenho é a impossibilidade de viajar com a bike dentro do tram (a cidade não tem metrô por razões óbvias – é um grande alagado que foi drenado e as construções são frágeis, meu amigo, não dá pra cavar um buraco pra fazer passar os metrôs). Estava chovendo canivetes em um dos dias que saí com a bicicleta e tive que pedalar até em casa na chuva mesmo. Tudo bem que não era longe, mas eu pagaria feliz pra chegar um pouco seca e com a bicicleta em casa. [A Kel está em Amsterdam agora e disse que conseguiu embarcar com a bicicleta – basta pagar uma tarifa mais cara. Mas eu não consegui – será um privilégio apenas para os dias de inverno?]

Por todos os lados é possível encontrar um lugar com aluguel de bikes – a hora mais barata, na minha experiência, é com as locadoras nas estações de trem. Infelizmente não dá pra você alugar as bicicletas quase grátis (você precisaria de um comprovante de residência) do sistema público da Holanda, mas o aluguel normal pra turistas sai bem mais barato que nas empresas “na rua”. Outra alternativa barata beira o ilegal: comprar uma bicicleta na mão de um mendigo (SIM, isso é possível) e depois vender de novo.

Uma coisa que notei de diferente entre as bikes de Amsterdam e as de outras cidades, como Copenhage por exemplo, é que as bicicletas holandesas são muito mais destruídas e velhas, como se os locais já soubessem que podem ser roubados mesmo e que nem adianta investir muito numa magrela. Bom, essa é a minha teoria. Os dados comprovam: 20% das bikes holandesas são roubadas por ano – eu também não investiria em um equipamento sofisticado.

O aplicativo de turismo do Trip Advisor para Amsterdam (link pro Google Play, mas deve ter pra iPhone tb) me ajudou muito a descobrir a cidade. Ele possui alguns roteiros auto-guiados bem interessantes para bicicleta – adorei o de arte urbana, com esculturas legais espalhadas pela cidade, e o de história pelo centro. As informações do tour são breves, porém o suficiente para entender o lugar visitado.

Das esculturas que eu vi pela cidade, as que mais me interessaram foram feitas por um escultor desconhecido. O “Unknown Artist” esculpiu e doou diversas obras à vidade de Amsterdam.

As duas que mais gostei foram a do cara correndo pra pegar o tram:

correndo pra pegar o tram

E a do mini-cara serrando um tronco de árvore:

serrote

Saiba mais sobre esse escultor-mistério aqui.

Além dos guias de viagem, outro jeito ótimo de descobrir Amsterdam é perdendo-se.

Eu acho que essa é uma dica para conhecer praticamente qualquer lugar do mundo (exceto florestas fechadas, desertos, favelas perigosas e outros lugares afins).

canaiss

Em Amsterdam especialmente, qualquer lugar é bonitinho e nada fica muito distante, então dá pra se embrenhar pelos canais, pontes, puxadinhos e campos de trigo e ainda voltar pro hostel no mesmo dia.

Eu estava ficando a 20 minutos do centro e era só pegar a bike por 10 minutos que eu chegava na “roça”, com campos de cultivo, moinhos de vento e outras paisagens pintadas por Van Gogh.

É ou não é amor?

Anúncios
Comments
2 Responses to “Amsterdam? Vou de bicicleta (óbvio!)”
  1. Eu confesso que fiquei meio assustada com o ciclotrânsito de Amsterdam. A fama das bicicletas na Holanda é enorme e eu esperava algo mais organizado. Acho que teria medo de andar de bicicleta lá. rsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: