Anúncios

In the Tubing – Vang Vieng (e dos perigos de flutuar bêbado por um rio)

Ah, o famoso “tubing”! Por todo sudeste se ouve falar da mítica descida do rio Nam Song em pneus de caminhão regadas a shot grátis, cogumelos, maconha, ópio e ~~outras coisas~~.

O que pode dar errado, certo?

TUDO.

O rio é lindíssimo, mas perigoso – principalmente se você está chapado. Em alguns pontos ele chega a ficar muito raso e rápido na estação seca (agora) e na época de chuvas ele é simplesmente rápido e fundo. Ou seja..: há pelo menos uma morte por ano e a quantidade de gente machucada que se vê por Siem Reap não está no gibi.

Os bares ao longo de suas margens oferecem brincadeiras tentadoras e divertidas, mas algumas delas são simplesmente a pior ideia do mundo quando seus reflexos estão alterados.

E ah, eles serão alterados! Cada bar oferece um shot grátis e uma pulseira de macramê para que você possa contar depois quantas você tomou. Do outro lado do menu de bebidas, o “special menu”:

(sim, esse menu é real!)

Então, ó, minha dica para você que quer experimentar “the complete tubing experience”: primeiro desça o rio inteiro só apreciando a vista lindíssima e depois volte só aos bares e consuma a sua droga de escolha – e não tente descer o rio alterado! Sério!

Bom, dito isso, vou contar mais sobre o tubing propriamente dito – ele vale a pena mesmo se você não usar nenhuma substância lícita ou ilícita.

Tudo começa no cartel de agências de viagem que organizam o tubing.

O preço é o mesmo para todo mundo: 50.000 kip (5 euros) pelo pneu e uma viagem de tuk tuk até o local onde começa o tubing + 60.000 de depósito – se você não devolver a bóia até 6h (acredite, depois de uns baldes é meio difícil fazer isso a tempo!) ou perdê-la no caminho, você perde essa grana.

Se você quiser só descer o rio boiando (ou nadando), o tuk tuk até lá em cima é 10.00 kip. Eu escolhi fazer isso, mas não recomendo e não faria de novo no rio vazio como está hoje, porque existem alguns trechos bem rasos onde é impossível nadar. Se você quiser ir só até os bares, tá de boa, dá pra ir nadando entre eles sem (muito) risco.

No começo do trajeto existem mil bares, que oferecem balanços, tirolezas, toboáguas, comida grátis (na compra de um balde de drinks), sorvete caseiro, tudo para chamar a sua atenção. Os funcionários dos bares jogam uma corda para você no rio e te puxam pra margem se você quiser fazer um pit stop.

Eu aproveitei para relaxar numa rede e atualizar o diário de viagens e tomar um sorvete de melancia 🙂

Depois de muitos bares com música alta que disputam pela sua atenção, a vista vai ficando cada vez mais bonita e natural – você entende porque o tubing começou na década de 1990. Lindo, lindo, lindo!

Como eu estava nadando (não tinha uma boia), houve momentos que tive que nadar até a margem e caminhar – em outros, peguei carona com amigos que desciam de boia e, no ~ultimo trecho~, consegui uma carona de caiaque!

Foi assim: dois guias de viagem estavam passando pelo rio liderando um grupo de caiaque, me viram de pé na água e ofereceram uma carona. AMOR ❤

Foi sem dúvidas uma das melhores partes do passeio: pude apreciar a vista, conversar com laosianos que sabiam falar um bom tanto em inglês e – lucky me! – começaram a cantar quando ficamos sem papo.

Vimos diversas crianças (inclusive monges-crianças e vocês sabem que eu AMO monges e seus trajes laranja) aproveitando o fim da tarde, mulheres lavando roupas e (UAU!) um grupo de 7 ou 8 búfalos nadando no rio!

Foi muito especial, especialmente com a trilha sonora e calma dos guias (que não pediram nada em troca quando me deixaram no ponto final do tubing, devo acrescentar).

Que jeito tranquilo e belo de terminar uma jornada que começou com Britney Spears remix no último volume.

Anúncios
Comments
6 Responses to “In the Tubing – Vang Vieng (e dos perigos de flutuar bêbado por um rio)”
  1. zambon disse:

    inveja branca, pode?

  2. Sua Loucura disse:

    eu ignoraria as suas recomendações e iria completamente doidona nesse trem… muito mágico! hahaha 😉

    • Liv disse:

      Sério, não faça isso: muita gente MORRE todo ano e o que mais se vê é gente mancando na cidade… Sem falar que o sistema médico no Laos é horrível e eles reutilizam agulhas! Desce sóbria e depois volta pra viajar e ser feliz e viva 🙂

  3. Rodolfo disse:

    Super legal. Valeu as recomendações pra moçada.

  4. Rodolfo disse:

    Agora se a grana estiver muito curta pra alugar uma boia, pede uma ajuda financeira pro seu pai.
    Às vezes cola.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: